quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Autor do projeto escola sem partido é preso pela PF em Foz por desvio de recursos na saúde

A Polícia Federal realizou na manhã desta terça-feira, 16, a oitava fase da Operação Pecúlio, batizada de “Renitência”.
A ação investiga esquema de desvios de recursos públicos na área de saúde. São seis mandados de prisão, três temporárias e três preventivas. Também há 12 mandados de busca e apreensão.
Conforme noticiou a Rádio Cultura, o vereador Dr. Brito (PEN/Patriota) está entre os presos preventivos. O parlamentar é o autor da versão municipal do programa Escola sem Partido e também do projeto que proíbe medidas educativas com base no termo “ideologia de gênero”.
Brito é conhecido na cidade por seu posicionamento conservador, autoproclamado defensor da “família” e da “moralidade”. Ele assumiu o mandato como suplente, após o titular da vaga ser cassado pela Câmara de Vereadores por conta de envolvimento nas denúncias apuradas pela quinta fase da Operação Pecúlio.
Conforme a Polícia Federal, as investigações apontam para a existência de esquema de desvios de recursos, por meio do direcionamento das contratações de serviços na área da saúde em Foz.
“As investigações, realizadas em conjunto com o Ministério Público Federal/Foz do Iguaçu, apontam que tal organização seria capitaneada por um dos vereadores da atual legislatura da Câmara Municipal de Foz do Iguaçu/PR, e contaria com pelo menos um servidor da Fundação Municipal da Saúde que estaria agindo de forma a direcionar contratações públicas”, diz a nota da Polícia Federal.
Por meio da assessoria, a Câmara de Vereadores emitiu o seguinte comunicado:
“Segue nota retorno sobre o cumprimento de mandado de busca e apreensão no gabinete do vereador Dr. Brito (Patriota), na manhã desta terça-feira, dia 16. A busca foi realizada antes do início do expediente e acompanhada por um funcionário da portaria. Portanto, a diretoria da Câmara está tomando conhecimento dos fatos e irá, em momento oportuno, tomar as medidas cabíveis”.
FONTE: Viomundo 

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Área da antiga Reffsa será revitalizada e transformada em novo cartão postal

Projeto das obras de restauro da Reffsa e urbanização do entorno. (Reprodução)

O prédio onde funcionava a antiga Reffsa, na Avenida Beira Mar, vai ser totalmente revitalizado, se tornando espaço de cultura, arte, entretenimento e vivência. A obra faz parte das ações do PAC Cidades Históricas, do Governo Federal, e contempla a restauração de todo o Complexo Ferroviário de São Luís. Executado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em parceria com o Governo do Estado e Prefeitura de São Luís, o projeto vai transformar a área em um novo cartão postal da cidade.

De acordo com o projeto, o novo prédio vai contar com espaços comerciais como cafeteria, choperia, galerias de arte, restaurante panorâmico e lojas, além de abrigar o Museu da Memória Ferroviária Maranhense e um setor da administração estadual. Também serão construídas três novas praças, uma delas em homenagem ao carnavalesco maranhense Joãosinho Trinta, e reformada a praça Praça Gomes de Souza, que atualmente abriga o monumento de 350 anos de São Luís. Serão feitas, ainda, melhorias no entorno.


“Esse projeto vem promover o resgate de um importante patrimônio da cidade e transformá-lo em referência da cultura e do turismo, para que a população possa usufruir de toda a estrutura com acessibilidade, conforto e segurança”, pontuou o governador Flávio Dino. Sobre a praça que levará o nome do carnavalesco maranhense, ele reforça a justa homenagem. “Joãosinho Trinta deixou sua marca na história do Carnaval de passarela do país, sendo, portanto, mais que merecida essa referência”.

O prefeito Edivaldo Holanda Júnior destacou a importância da obra para o turismo, cultura e economia da cidade. “É uma área que referencia São Luís como patrimônio mundial, por estar no Centro Histórico e atrai turistas, gerando trabalho, renda e desenvolvimento. A recuperação deste espaço é um desejo da população que será concretizada nesta importante parceria dos governos”, avaliou o prefeito, destacando ainda a importância da parceria com o Iphan e Governo do Estado.

As praças terão áreas de sombreamento com plantio de árvores nativas e conservação das existentes. Uma destas construções vai abrigar área de exposição da Locomotiva Benedito Leite, que será restaurada e receberá iluminação artística. A inclusão será plenamente atendida com obras de acessibilidade compatível ao sistema viário, com faixas de pedestres, rampas nas calçadas com contrapiso em concreto de alta resistência, além de sinalização tátil.



O superintendente do Iphan, Maurício Itapary, pontua que o conjunto arquitetônico identifica nossa cidade histórica e culturalmente. “São Luís está sendo contemplada com uma série de obras por meio do PAC Cidade Histórias, a exemplo desta na Reffsa, que, com certeza, têm impacto muito positivo para a cidade na preservação do seu patrimônio”, ressaltou.

O gestor reitera que os investimentos do Governo Federal, por meio do Iphan na capital, incluem, além de restauração da Rua Grande, de diversos prédios, urbanização de praças – como a Deodoro e do Pantheon –, e outros espaços para valorização da cidade, que é Patrimônio da Humanidade.

“Os governos municipal, estadual e federal estão unidos nessa parceria para resgatar essa riqueza e garantir que o cidadão possa ter o pleno conhecimento deste patrimônio”, disse Itapary. O Complexo Ferroviário está inserido no conjunto histórico, arquitetônico e paisagístico urbano da capital e é tombado pelo Governo do Estado, por meio do Decreto 10.089, de março de 1986.

Complexo Ferroviário

A obra no prédio da Reffsa vai modificar toda a estrutura atual. O prédio principal terá, no pavimento térreo, ambientes de uso social, como recepção e salão de exposições, e de uso comercial, referentes aos três recintos destinados à locação. Ainda, sobreloja com salas para a Secretaria de Estado da Cultura e Turismo, passarela e piso de vidro que transpõe o hall de exposição, além de banheiros masculino, feminino e para pessoas com necessidades especiais.

O primeiro pavimento vai abrigar salas administrativas da Secretaria, além de uma sala de reunião e ambientes de serviço como copa, almoxarifado e banheiros. O segundo pavimento, pela vista privilegiada, vai contar com um restaurante panorâmico, salão de mesas, espaço para instalação de um bar, cozinha industrial, administração e banheiros.

Onde funcionava o arquivo será construído o escritório regional da Reffsa, no térreo, e o antigo anexo será demolido. No local, visitantes terão acesso à recepção, auditório e banheiros. Contempla ainda a construção de ambientes de serviço como copa e sala para guarda de todo o acervo existente.

Para a área do arquivo está projetado, ainda, um mezanino para ambientes de trabalho de acesso restrito, com laboratórios de digitalização e de restauro, área técnica, sala de informática, diretoria com lavabo exclusivo e sala de reunião. Toda a iluminação da área próxima à Reffsa será reformulada e o espaço da praça vai ganhar projeto paisagístico.

FONTE: Secap

Governo Flávio Dino incentiva cadeia produtiva da cachaça

Flávio Dino discute incentivos para a produção de cachaça maranhense
 com entidades do setor. (Foto: Handson Chagas)
Adensamento da cadeia produtiva da cachaça, regularização de produtores e estratégias para o fortalecimento do mercado de bebidas foram alguns dos temas discutidos na reunião de trabalho realizada pelo governador Flávio Dino nesta segunda-feira (15), no Palácio dos Leões.

Na ocasião, ele recebeu representantes do Sindicato de Bebidas (Sindibebidas), empresários e outras instituições do setor. Além da tradicional tiquira feita à base de mandioca, as cachaças de cana de açúcar são muito produzidas em diversas regiões do estado, segundo o presidente do Sindibebidas, Francisco Rocha. E também uma das primeiras iniciativas para profissionalizar e dar competitividade à produção local e à regularização de produtores.

“Nunca antes tivemos ações com encadeamento lógico, de modo a alcançar resultados no conjunto, seja para melhoria da qualidade ou da produtividade. E agora temos aqui a reunião de 20 instituições com o propósito de consolidar essa produção artesanal e estabelecermos metas de termos até o ano que vem 20 marcas de cachaças no mercado formal, vendidas em supermercados, conveniências, para que o consumidor possa acessar nossos produtos”, comentou Francisco Rocha.

Além de produtores, o projeto intitulado Cachaça Artesanal e Tiquira do Maranhão (Cartima) conta com a participação de instituições financeiras, universidades como a Estadual do Maranhão (Uema) e Instituto Federal do Maranhão (IFMA), entre outros.

Cadeia Produtiva da Cachaça

Itens feitos pelos produtores
 maranhenses de cachaça. (Foto: Handson Chagas)
Ainda do governo estadual, participaram da reunião os secretários de Agricultura (Sagrima), Marcio Honaiser; de Turismo (Sectur), Diego Galdino; de Indústria e Comércio (Seinc), Simplício Araújo; e de Meio Ambiente (Sema), Marcelo Coelho. Eles contribuem com diferentes iniciativas para incremento da produção do setor.

“É uma reunião importante que já mostra a determinação que o Governo do Maranhão tem com várias secretarias para desenvolver mais uma cadeia produtiva, dessa vez agora a cadeia produtiva da cachaça e da tiquira, que têm como base a cadeia de cana de açúcar e da mandioca”, comentou Honaiser.

O secretário também detalhou as ações em curso: “Estamos agora, através de uma instituição contratada, fazendo um trabalho de levantamento dos alambiques maranhenses para ver aqueles que têm um potencial para que possamos em parceria desenvolver cada vez mais”.

José Lúcio Ferreira, presidente da ExpoCachaça, evento mineiro que é o maior divulgador do ramo no país, comentou as impressões das possibilidades maranhenses no ramo.

“Fiquei muito feliz de ter vindo de Belo Horizonte para cá porque uma coisa que a gente briga é para ter um produto de qualidade, mas para isso a gente precisa ter um mercado organizado e o aconteceu aqui foi exatamente começar com a forma correta, reunir todos os grandes produtores, instituições que são parte do mercado junto à iniciativa pública em prol do desenvolvimento”, comentou.

Também participaram da reunião, o Sistema Fiema, com representantes da Federação das Industrias do Maranhão (Fiema), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Senai e representantes de instituições financeiras como o Banco do Brasil.

FONTE: SECAP

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Família Sarney, através do PIG, quer a volta de rebeliões em Pedrinhas.


Os órgãos de comunicação dos Sarneys e seus blogueiros bajuladores que fazem parte do PIG (Partido da imprensa Golpista) estão aproveitando o fato bizarro que aconteceu em Pedrinhas neste domingo, onde o condenado pela morte do jornalista Décio Sá, o Jonathan, assassinou um dos líderes da facção do bonde dos 40, durante banho de sol, para fazer culpar o governo atual por todos os problemas que ocorreram  e que possam ocorrer daqui pra frente.

Num entusiasmo delirante o grupo Sarney usa seus capachos jornalistas para tentar reverter o que o povo já sabe a verdade que quando a “guerreira” comandava o nosso estado, Pedrinhas diariamente era notícia nacional, acontecia no sistema, muitas “guerras”, mortes com cabeças rolando, incêndio, fugas, lotação quadruplicadas, todo tipo de arruaça os presos cometiam durante o governo dos Sarneys.

O que querem os Sarneyzistas e seus capachos jornalistas com esse frenesi?

Nada mais, nada menos que volte as rebeliões nos presídios, que volte o caos no sistema carcerário, para que a população fique com medo, inclusive setores dos órgãos de fiscalização  e representantes da sociedade que na época não faziam nada pra mudar a realidade, coloquem suas asinhas de fora e usam discursos moralistas para ajudar o grupo Sarney a obter pontos para eleição que está chegando.

Hoje o PIG diz que a população de presos é o dobro dos números de vagas oferecidas, não dizem que esse problema é nacional e que hoje em comparação ao governo da “guerreira” que era caótico, melhorou muito, inclusive com vários programas de ressocialização.


Cabe o governo atual, continuar a trabalhar no rumo certo que a população maranhense saberá sempre diferenciar o antes pro agora.

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Feirinha São Luís terá edições especiais nas vésperas de Natal e Ano Novo

Funcionando na Praça Benedito Leite sempre aos domingos, das 7h às 15h, a Feirinha São Luís tem sido um grande atrativo para moradores e turistas da capital maranhense. Com a proximidade das festas de fim de ano, estão garantidas as edições do dia 24, véspera de Natal e também a do dia 31, véspera de Ano Novo, com programações especiais alusivas à estas datas que em 2017 caem, ambas, em dia de domingo. A iniciativa, da Prefeitura de São Luís e executada pela Secretaria de Agricultura, Pesca e Abastecimento (Semapa), trouxe, neste domingo (17), uma programação com ritmos diversos como reggae, samba, rock, ainda show especial de Natal e muitos produtos da agricultura familiar. O fomento à agricultura familiar com a geração de renda é o principal objetivo do programa.
"A Feirinha é um projeto incentivado pelo prefeito Edivaldo e que deu certo. A Prefeitura vai realizar edições tanto no dia 24, véspera de Natal, quanto no dia 31, véspera de Réveillon. A programação terá shows especiais para as datas e manteremos a comercialização da agricultura local, artesanato e gastronomia", garantiu o titular da Semapa, Ivaldo Rodrigues.
Uma das principais atrações deste domingo (17), foi o cantor e compositor de reggae Fauzi Beydoun. O astro do ritmo jamaicano e vocalista da banda Tribo de Jah, se apresentou acompanhado da banda The Soul Vibe e atraiu grande público para a Praça Benedito Leite. Além dele, esta edição contou com apresentações do Grupo 1,2,3 que fez um show especial de Natal; o rock da Banda Drosera; e o samba de Leandro e Banda.
Foi um caldeirão de ritmos que animou o Centro Histórico. "A Feirinha concretizou a reocupação do Centro Histórico aos domingos, com um público fiel, que acompanhou cada edição de forma enérgica e os shows que animam o público do início ao fim são um dos atrativos do evento", destacou o secretário Ivaldo Rodrigues.
A Feirinha São Luís reúne 29 barracas para venda de produtos oriundos da agricultura familiar, 30 destinadas ao artesanato, 22 para alimentação e ainda 11 food trucks. Quem vai à Feirinha pode adquirir produtos agroecológicos diretamente dos produtores. O evento, que tem como um de seus objetivos fomentar a economia criativa aos produtores da capital, é mais um canal de escoamento da produção agrícola. Organizados em mais de 11 polos nos quais comercializam produtos diversos a preços competitivos, os produtores também distribuem seus produtos em mais de 90 pontos de comércio da cidade.
GASTRONOMIA
Ponto alto da gastronomia no evento, a Barraca do Chef contou nesse domingo com as delícias preparadas por Jeisa Moraes, que apresentou um menu de comidas tipicamente maranhense. A proposta da Barraca do Chef é que a cada edição seja apresentado um cardápio com a marca de cada profissional.
Nas edições anteriores passaram pela Barraca do Chef nomes de peso como Melquiades Dantas, Cila Brandão, Juja, Danilo Dias, Thiago Ogro, Felipe Marques, Giuseppe Rocha e Paulo Coimbra, Murylo Luna, Rosângela Roxo, Suely Almeida, Adriana Saulnier, Danilo Sousa, Warwick Trinta, Delmo Junior e Ormilo Neto, que conquistaram o público pelos sabores de seus pratos.
FONTE: Agência São Luís

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

10 perguntas que comparam os 50 anos de governo dos Sarney com os 3 anos do governo Flávio Dino

1 - Diante do caos, do desvio de R$ 1bilhão na gestão de Ricardo Murad e do compadrio na saúde pública, poderia o povo maranhense imaginar que, 25 anos depois, aconteceria nesse estado um concurso com mil vagas para a gestão da Saúde? Que o Maranhão teria 8 hospitais novos funcionando em regiões diversas do Estado?

2 - Diante do que foi o caos na segurança pública, com São Luís eleita uma das cidades mais violentas do mundo, cabeças decepadas na Penitenciária de Pedrinhas, Crime Organizado decretando toque de recolher na capital e cidades do interior maranhense, poderia o povo imaginar que chegaríamos a mais 3 mil policiais nas ruas em apenas 3 anos? Que teríamos um concurso com mais 1215 vagas na Polícia Militar em 2017 e também um concurso na Polícia Civil? Que teríamos o menor índice de homicídios da história e uma polícia capaz de desvendar a maioria dos crimes em menos de 72 horas?

3 – Diante da grilagem, da especulação imobiliária e da violência no campo do passado, o povo maranhense poderia imaginar que em apenas 3 anos do governo Flávio Dino 11 mil famílias realizariam o sonho da terra própria? E que a agricultura familiar, completamente desprezada em outros governos, teria a força que tem hoje?

4 – Num estado que chegou a ter apenas uma escola estadual de ensino médio e nenhuma escola em tempo integral, além de instituições de ensino de taipa, palha ou funcionando em galpões, o povo maranhense poderia imaginar que em apenas 3 anos do governo Flávio Dino seriam inauguradas 100 escolas dignas, com meta de chegar a 300 em 2018? E que existiriam instituições de ensino profissionalizante no Maranhão?

5 – Num Estado que não saía das páginas policiais do Brasil e do mundo, envolvido o tempo todo em denúncias de corrupção, o povo poderia imaginar que em apenas 3 anos o governo do Maranhão seria o primeiro lugar no Brasil em Transparência nos gastos dos recursos públicos?

6 – Depois de 50 anos de sucessivas administrações, o povo maranhense poderia imaginar que em apenas 3 anos de governo Flávio Dino esse Estado teria um Hospital do Câncer e uma Casa de Apoio às vítimas dessa terrível doença? Que São Luís abrigaria um Hospital de Ortopedia e Traumatologia? Ou que uma casa de esbórnia para consumo de lagostas, uísques, vinhos importados e jogatina, a Casa de Veraneio do Governo do Estado, seria destinada ao tratamento de crianças com microcefalia?

7 – Diante da falência decretada do Porto do Itaqui no governo passado, o povo maranhense poderia imaginar que em apenas 3 anos do governo Flávio Dino obras no valor de R$ 16 milhões ali seriam construídas com recursos do próprio porto?

8 – Diante dos terríveis índices de desenvolvimento humano que o Estado amargou até o ano de 2014, o povo poderia imaginar a drástica redução em mortalidade infantil e mortalidade materna que em apenas 3 anos do governo Flávio Dino se alcançou no Maranhão?

9 – Diante da buraqueira geral que durnate tanto tempo atingiu o Maranhão e, particularmente, São Luís, o povo poderia imaginar um programa como o Mais Asfalto pavimentando mais de 160 cidades em apenas 3 anos do governo Flávio Dino?

10 – E alguém poderia sequer cogitar que, para não dar notícias das mais de 100 inaugurações efetuadas pelo governador Flávio Dino, nos meses novembro e dezembro, a TV Mirante cortaria a publicidade oficial do governo?

Você responde e você conclui porque o Maranhão passou meio século na condição de estado mais atrasado do Brasil.

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

PIG da Oligarquia tenta escamotear altos índices de violência no desgoverno Roseana


Só em 2014, houve aumento de 69,9% da taxa de homicídios por 100 mil jovens na faixa etária de 15 a 29 anos. 

Se não bastasse caluniar, denegrir, injuriar e praticar leviandade contra o governo atual, a família agora tenta escamotear tudo de péssimo que o desgoverno de Roseana Murad fez para a população do Maranhão no tocante aos números da violência.

Lembramos amig@s que na época dos governos oligarca, principalmente os de Roseana,  a violência passou dos limites de todas as estatísticas, tanto dentro do complexo prisional de Pedrinhas que teve cabeças rolando pelo corredores das celas, quanto nas ruas dos municípios da Grande Ilha.

O nosso blog fez um pequeno levantamento dos números e casos de homicídios acontecidos só no último mandato de Roseana em 2014, para ser comparado com o ano de 2017 do atual governo.

Veja abaixo dados apurados pelo blog,

Violência no governo Roseana em 2014

Em 2014, somente em novembro, foram registradas 127 mortes violentas na Região Metropolitana de São Luís com homicídios dolosos por armas de fogo e armas brancas, considerando lesões corporais seguidas de morte, latrocínios e homicídios por intervenção militar, superando o mês de agosto com 90 ocorrências.

Agora pasmem de acordo com os números da SSP neste ano de 2014, o total acumulado foi de 826 mortes, contra 807 em 2013 e 635 em 2012.

Vale ressaltar que segundo o IPEA  – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, através do Atlas da Violência de 2017, só em 2014, houve um aumento de 69,9% da taxa de homicídios por 100 mil jovens na faixa etária de 15 a 29 anos. 

Violência no governo Flávio Dino em 2017

Segundo a Atlas da Violência 2017, divulgado pelo IPEA, enquanto a taxa de homicídios no nosso estado em 2014 chegaram a números altos, de 2015 á 2017 os números de homicídios  foram revertidos, só nos cinco primeiros meses de 2017 houve queda de 33% comparando com 2014.

Do ano de 2014 à 2017, precisamente o número caiu 39%.

Portanto amig@s, tirem suas conclusões nessa comparação, vejam que a oligarquia acha que sempre vai enganar o nosso povo. Usando seu poderio de comunicação, sua TV e seu decadente jornal, comprando, alugando blogueiros irresponsáveis para tentar ludibriar os eleitores com intuito principal de voltar ao poder.

O povo saberá dá a resposta em 2018.

Fora PIG!


Oligarquia nunca mais!




sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Governo abre edital para entregar 70 kits a rádios comunitárias de todo o Maranhão

Foto: Karlos Geromy
Dando continuidade ao processo de democratização da comunicação no Maranhão, o Governo do Estado, por meio da Secretaria da Comunicação Social e Assuntos Políticos (Secap), abriu nesta quinta-feira (30) o edital de chamamento público para celebração de convênios com associações mantenedoras de Rádios Comunitárias no Maranhão.
“É uma iniciativa inovadora que possibilitará às rádios comunitárias, que estejam com suas outorgas asseguradas, um conveniamento com o Estado para que possam melhorar seus equipamentos, e, dessa maneira, melhorar também a performance de suas programações. É uma efetiva e concreta parceria do Governo do Maranhão com as rádios comunitárias do Estado”, conta o secretário de Estado da Comunicação Social e Assuntos Políticos, Márcio Jerry.
O documento publicado hoje faz parte do Programa Mais Comunicação e trata da seleção de 70 Organizações da Sociedade Civil (OSC) para receber apoio da gestão atual por meio de distribuição de Kits de Comunicação Comunitária para as fundações e associações concessionárias dos serviços de radiodifusão comunitária.
Confira o edital:
“O edital vai permitir que as emissoras de rádio comunitárias recebam o apoio, uma melhora em suas infraestruturas, melhorando os serviços de modo a garantir a universalização da comunicação, contribuindo para a formação de cidadãos livres, conscientes e preparados para atuar com protagonismo no meio social”, explica o secretário adjunto de Comunicação e diretor-geral da Rádio Timbira, Robson Paz.
O kit de Comunicação é composto por itens como transmissor FM 25W, antena Plano Terra, cabo montando 50m, mesa de áudio 4 canais, microcomputador, antena Parabólica com receptor e dois microfones, entregues já no primeiro semestre de 2018. O valor previsto para a consecução do objeto será de R$ 798.396,67.
Quem pode participar
Podem celebrar o termo as OSCs com sede instalada no Estado do Maranhão, a partir dos seguintes critérios de seleção: antiguidade da operação da rádio comunitária, contada da data do Decreto Legislativo que a homologou; quantidade de apoiadores culturais; número de horas diárias de operação; qualidade dos equipamentos da Rádio Comunitária.
Um diferencial do edital é que as organizações que tiverem suas sedes localizadas em um dos 30 municípios atendidos pelo Plano Mais IDH terão prioridade, sendo dispensadas da fase classificatória, indo diretamente para a fase eliminatória.
“É importante que as organizações pontuem bem nos critérios técnicos exigidos no edital porque é uma ação que visa ajudar as rádios que mais precisam de infraestrutura. Nós temos no Maranhão aproximadamente 160 rádios legalizadas, ou seja, estaremos beneficiando metade das rádios maranhenses, priorizando as rádios que estejam com maior necessidade”, diz Robson Paz.
Inscrições
As inscrições iniciam nesta quinta-feira (30) e vão até o dia 15 de dezembro. Podem ser feitas por meio de entrega de envelopes – que contenham em seu interior Projeto Básico, Minuta de Termo de Colaboração, Modelo de Plano de Trabalho e ficha de Inscrição, Modelo de Ficha de Avaliação e Termo de Anuência, devidamente preenchidos, e lista de documentos pedidos no edital –, de modo presencial ou via correios (por sedex), das 9h às 17hs, de segunda a sexta, na sede da Secretaria de Estado da Comunicação Social e Assuntos Políticos, localizada no Palácio Henrique de La Rocque – Av. Jerônimo de Albuquerque, S/N – Calhau, em São Luís.
Os envelopes devem conter em sua face externa o endereço da Secretaria, a identificação do chamamento público (Programa MAIS COMUNICAÇÃO), o objeto da parceria (kit de Comunicação Comunitária) e o nome da OSC.
Incentivo 
Desde o início desta gestão, o Governo vem estreitando as relações com os comunicadores populares do todo o Maranhão.
Um grande exemplo disso foi a realização, em 2015, do Seminário de Rádios Comunitárias que reuniu profissionais de mais 40 municípios para participarem de qualificação profissional da área para disputar os editais de concessão do novo Plano Nacional de Outorgas (PNO) para emissoras comunitárias.
O Seminário reuniu 29 cidades contempladas no PNO mais 11 municípios de menor IDH do estado, reafirmando o compromisso com a democratização da comunicação como condição fundamental para a democratização cada vez maior do estado e da sociedade.
Fonte: SECAP

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Leviandade é a ordem da Oligarquia Sarney ao PIG maranhense.

Sarney e filha na baixaria
A oligarquia Sarney e o PIG maranhense no auge do seu desespero político eleitoral começam de maneira compulsiva a destilar inverdades e julgar seus inimigos antecipadamente e difamar aqueles que a justiça já julgou como inocente das acusações.

Na coluna “Estada Maior” do decadente jornal diário escrito pertencente à oligarquia, ontem dia 29, a família julga, acusa e difama de maneira baixa e irresponsável o Governador Flávio Dino o acusando de acobertar “propineiras” na sua gestão.

Julga a ex-funcionária do estado Rosângela Curado, presa e acusada sobre suspeita de desvios de dinheiro público que será julgada se tem culpa no cartório, mas a família já fez o julgamento.

Blogueiros lambe-botas cumprem seus papeis
Acusa ainda ex-funcionária  do estado Simone Limeira, vítima de uma trama armada para prejudicá-la por não aceitar desmandos antigos de um esquema de fornecimento de transporte para áreas indígenas. Foi absolvida pela justiça, mas a família insiste em não respeitar a decisão judicial.

E difama mais uma vez o governador, acusando-o de acobertar as ex-funcionárias.

CASO SIMONE LIMEIRA

Acatando relatório da Polícia Civil e parecer do ministério público assinado pelo procurador geral Luís Gonzaga, o desembargador Vicente de Castro decidiu ARQUIVAR a representação feita pela deputada Andrea Murad acusando Simone Limeira.



Vale lembrar que Simone Limeira é pré-candidata a deputada estadual pelo PCdoB na região do sertão maranhense, precisamente em Grajaú, onde a família Sarney sempre tratou como curral eleitoral. Hoje tem como prefeito uns dos últimos remanescente da oligarquia, Mercial Arruda.

Cabe a pré-candidata entrar com processo por danos morais e no mínimo com direito de resposta a essas descabidas acusações, provando um verdadeiro desespero da família e dos representantes do PIG que usam seus vendidos blogues para fazer a política venal.

A população começa a entender essa tramoia dessa família, só no intuito de desmoralizar o Maranhão na tentativa de ter o poder de volta.


Família Sarney nunca mais!

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Inscrições para o Residencial Parque Independência são prorrogadas até 7 de dezembro

Servidores públicos ativos dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário estaduais interessados em adquirir um dos 2.048 apartamentos do Residencial Parque Independência têm até o próximo dia 7 de dezembro de 2017 para realizar as inscrições no site http://www.ma.gov.br/parqueindependencia. O prazo venceria no dia 30 de novembro, mas foi prorrogado para que os servidores dos Três Poderes no Maranhão possam participar.
O Residencial Parque Independência é parte do Minha Casa, Meu Maranhão, maior programa de habitação do Estado, idealizado pelo governador Flávio Dino para reduzir do déficit de moradias no Maranhão.
Com 6.684 inscrições realizadas até o momento, o Residencial Parque Independência oferece apartamentos com valores até 25% inferiores a preços de outros imóveis similares localizados na região, onde era realizada a Exposição Agropecuária do Maranhão (Expoema).
“Ajustamos o período de inscrições atendendo a pedido dos servidores do Legislativo e Judiciário. O procedimento de inscrição é muito simples e rápido, não temos tido qualquer tipo de problema de lentidão no site e o servidor pode concluir a inscrição em dois minutos”, diz a secretária de Estado das Cidades e Desenvolvimento Urbano, Flávia Alexandrina.
Os servidores poderão optar por dois tipos de imóveis: apartamentos de dois quartos, com área de 51,14 metros quadrados e valor de R$ 99.960; e apartamentos de três quartos, com 65,45 metros quadrados, avaliados em R$ 127.500.
Após o prazo de inscrições no site, servidores que não apresentarem restrições cadastrais participarão de um sorteio presencial eletrônico com o objetivo de definir a ordem de atendimento presencial.
Após esse procedimento, os servidores receberão comunicação para que compareçam na Secretaria das Cidades a fim de apresentar a documentação básica, realizar uma entrevista e obter informações detalhadas sobre o programa e as condições de financiamento.
“É muito importante que, antes de realizar a inscrição no site, o servidor observe sua situação cadastral. A ausência de restrição é um dos critérios para o financiamento do imóvel”, explica Flávia Alexandrina.
Financiamento
Financiado com recursos do FGTS e do Sistema de Habitação, a parceria entre o Governo do Estado com a Caixa Econômica Federal investe R$ 255 milhões para construção dos apartamentos. A realização do empreendimento é possível graças à cessão feita pelo Governo de 18 dos 43 hectares do Parque Independência.
Os servidores podem financiar até 80% do valor do imóvel, mas os valores não financiados poderão ser parcelados em até 24 meses.
Como mais um benefício oferecido pelo Governo do Maranhão, os servidores contemplados receberão um adiantamento para o pagamento de 50% das despesas com registro do contrato e pagamento do ITBI.

terça-feira, 28 de novembro de 2017

Mídia abafa relatório da CPI da Previdência.

Por Altamiro Borges, em seu blog
Não virou manchete nos jornalões e nem foi destaque no JN da TV Globo. Nesta segunda-feira (23), a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) constituída no Senado para avaliar a real situação da Previdência Social concluiu que não existe déficit nas contas. O relatório elaborado pelo senador Hélio José (Pros-DF), que tem 253 páginas e será enviado ao plenário da Casa para votação até 6 de novembro, afirma que o sistema previdenciário, que faz parte da seguridade social, é superavitário. Ele ainda aponta os verdadeiros gargalos que precisam ser enfrentados de imediato, como as fraudes e a sonegação, e faz críticas à proposta de reforma do setor apresentada pela quadrilha de Michel Temer, que na prática significa o fim da aposentadoria dos brasileiros.

O relatório rechaça os dados divulgados pelo covil, que “desenham um futuro aterrorizante e totalmente inverossímil” com o intuito de acabar com a previdência pública e beneficiar as empresas privadas. “É importante destacar que a previdência social brasileira não é deficitária. Ela sofre com a conjunção de uma renitente má gestão por parte do governo, que, durante décadas: retirou dinheiro do sistema para utilização em projetos e interesses próprios e alheios ao escopo da previdência; protegeu empresas devedoras, aplicando uma série de programas de perdão de dívidas e mesmo ignorando a lei para que empresas devedoras continuassem a participar de programas de empréstimos e benefícios fiscais e creditícios; e buscou a retirada de direitos dos trabalhadores vinculados à previdência unicamente na perspectiva de redução dos gastos públicos”.

Segundo o deputado Hélio José, não é admissível qualquer discussão sobre déficit sem a correção das distorções relativas ao financiamento do sistema. “Os casos emblemáticos de sonegação que recorrentemente são negligenciados por ausência de fiscalização e meios eficientes para sua efetivação são estarrecedores e representam um sumidouro de recursos de quase impossível recuperação em face da legislação vigente". De acordo com o seu relatório, as empresas privadas devem R$ 450 bilhões à previdência e, para piorar, segundo a Procuradoria da Fazenda Nacional, somente R$ 175 bilhões correspondem a débitos recuperáveis. “Esse débito decorre do não repasse das contribuições dos empregadores, mas também da prática empresarial de reter a parcela contributiva dos trabalhadores, o que configura um duplo malogro; pois, além de não repassar o dinheiro à previdência esses empresários embolsam recursos que não lhes pertencem”.

Apesar destas conclusões alarmantes, que desmascaram as teses dos privatistas, a CPI do Senado não teve qualquer destaque na mídia venal. Ela foi instalada no final de abril e, desde então, promoveu 26 audiências públicas. Como observa o presidente da CPI, senador Paulo Paim (PT-RS), “os grandes devedores da Previdência também são clientes da mídia. Sabíamos que uma investigação deste vulto não teria cobertura da grande imprensa”. Ele lembra ainda que 62 senadores assinaram a proposta de criação da comissão – eram necessárias apenas 27 assinaturas –, o que revela o grau de desconfiança dos parlamentares em relação aos argumentos apresentados pelo governo e pela mídia chapa-branca em defesa da reforma previdenciária.


Pedro Cardoso é banido pela Rede Globo após falar o que pensa

A Rede Globo decidiu banir Pedro Cardoso de suas produções, sem prazo para retorno. O alto escalão da emissora considera que o ator tem falado o que não deveria. As informações foram publicadas pelo Notícias na TV.
Pedro teria magoado os executivos da emissora por se posicionar politicamente e criticar a própria Globo. Ele passou mais de 30 anos na Globo, como roteirista de programas como TV Pirata e como ator. Só em A Grande Família, interpretando o malandro Agostinho Carrara, foram 14 temporadas. Com o fim do seriado, a Globo não apresentou novos trabalhos a Cardoso.
Em julho de 2015, em entrevista ao portal UOL, Pedro chamou a TV de “acovardada e conservadora” e criticou a falta de transformações na programação: “O país mudou, mas a TV está igual ao Brasil do Fernando Henrique. Se a gente ficar fazendo a televisão que era da época dele, o público vai fazer outra coisa”, alfinetou.
Em junho do ano seguinte, Cardoso foi ao programa Pânico, da rádio Jovem Pan, e continuou suas críticas, ao alegar que seus antigos patrões não valorizaram sua história lá: “Eu achava que a Globo me ofereceria um horário para eu desenvolver um projeto autoral. Mas tiveram o mais absoluto desprezo pelo meu trabalho lá dentro”.
Dias depois, criticou o seriado Verdades Secretas: “Você faz algo sobre modelos que se prostituem e isso vira um sem número de cenas eróticas. Parece que você está tratando seriamente desse assunto, que está preocupado em salvar a vida dessas moças. Quando, na verdade, você está apenas vendendo conteúdo erótico disfarçado de interesse intelectual”, detonou.
Pedro afirmou ainda que não se preocupava com as consequências de suas declarações. “Se o preço da minha liberdade for esse, eu vou pagar feliz. Eu acho que o artista tem um compromisso muito grande com a verdade. Você tem que falar o que pensa e dizer a verdade”, minimizou. Como previsto, foi banido do canal.

Filho de Taís Araújo

Na última semana, Pedro Cardoso protagonizou um episódio histórico ao se levantar e deixar um programa ao vivo na Rede EBC.
O ator, que participava do “Sem Censura”, abandonou a atração em solidariedade aos trabalhadores em greve e ainda homenageou Taís Araújo, atacada pelo presidente da emissora (relembre aqui).

Luciano Huck

Convidado do “Programa Porchat” desta segunda-feira, 27 de novembro, Pedro Cardoso falou sobre politica, avaliando o cenário das eleições de 2018.
“Tem muita celebridade querendo ser presidente. Acho que eu também vou. Basta ser famoso”, alfinetou, sem citar o nome de Luciano Huck.
Pedro Cardoso afirmou que é preciso usar a razão. “É o momento para pouca paixão. Ficar odiando ou amando alguém vai criar uma distorção da realidade. Uma coisa os políticos têm iguais: todos falam, nenhum ouve. Eu se tivesse que escolher um presidente, seria um que apenas ouvisse, pois sabemos o que queremos, só não temos quem nos ouça”.

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

ATENÇÃO: Flávio Dino sanciona PL para concurso de 1.000 vagas na área da saúde!


O governador Flávio Dino sancionou o Projeto de Lei que cria mil vagas de emprego, por meio de concurso público, na área da Saúde no Maranhão. “Agora é lei: 1.000 vagas efetivas para área da saúde. Vamos organizar o concurso público”, disse o governador por meio das redes sociais nesta quarta-feira (08).

O projeto é de autoria do Governo do Estado e foi aprovado pela Assembleia Legislativa. Com a sanção, ele agora se torna uma lei.

As vagas são para o quadro efetivo da Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (Emserh), responsável pela gestão de 45 unidades de saúde em São Luís e no interior do Estado.

Destinadas a profissionais com nível médio e superior, as vagas têm salários entre R$ 1.000,00 e R$ 7.425,31.

A proposta prevê que as vagas devem ser distribuídas de acordo com as necessidades das respectivas unidades sob responsabilidade da Emserh, estabelecendo ainda que a carga horária e os vencimentos dos profissionais devem obedecer à Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), bem como à legislação que rege o trabalho de cada categoria.

Estrutura das Vagas para Concurso Público da Emserh

Biomédico: 15 vagas
Bioquímico:  10 vagas
Enfermeiro Generalista: 30 vagas
Enfermeiro UTI Neonatal: 10 vagas
Enfermeiro UTI Pediátrica: 10 vagas
Enfermeiro UTI Adulto: 10 vagas
Enfermeiro Obstetra: 10 vagas
Farmacêutico: 60 vagas
Fisioterapeuta: 28 vagas
Fisioterapeuta UTI Pediátrica-Neonatal: 10 vagas
Fonoaudiólogo: 15 vagas
Nutricionista: 20 vagas
Odontólogo: 15 vagas
Psicólogo: 15 vagas
Terapeuta Ocupacional: 15 vagas
Técnico de Enfermagem: 560 vagas
Técnico em saúde bucal: 26 vagas
Médico cardiologista: 8 vagas
Médico – clínica médica: 9 vagas
Médico – endocrinologia: 13 vagas
Médico  – ginecologia e obstetrícia:  9 vagas
Médico – ortopedia: 7 vagas
Médico – pediatria: 10 vagas
Médico-psquiatra: 4 vagas


Área administrativa da Emserh

Advogado: 2 vagas
Analista administrativo: 44 vagas
Jornalista: 5 vagas
Assistente administrativo: 30 vagas