quarta-feira, 31 de julho de 2013

Sampaio e Santa no Castelão, Ingressos a partir de hoje, setor 5 e 6 R$ 10 + 1 kilo, meia entrada só na sexta.

Depois de realizar uma promoção no confronto da última quarta-feira (24), contra o Luverdense (MT), o Sampaio Corrêa anunciou em seu site oficial, na noite de segunda-feira (29), que irá realizar novamente essa ação no jogo contra o Santa Cruz, que será realizado neste sábado (3), pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro Série C, sendo que os setores 5 e 6 serão novamente beneficiados pela iniciativa do Tubarão.
Os principais motivos para a manutenção do desconto para esses setores foi o sucesso do teste inicial, realizado no empate em 1 a 1 diante dos mato-grossenses: com o ingresso a R$ 10 e um quilo de alimento não perecível nestas áreas do Castelão, o Sampaio conseguiu o seu melhor público na competição nacional até aqui (16.238 pagantes) e ainda arrecadou quase cinco toneladas de alimentos, que foram doados para uma creche em São Luís.
Venda de ingressos terá início nesta quarta-feira
Além de informar que a promoção dos setores 5 e 6 será mantida diante do Tricolor pernambucano, o clube maranhense anunciou ainda o preço para os demais setores do estádio Castelão. Os setores 1, 2 e 3 custarão R$ 20, o setor 4 terá o valor de R$ 40 e as cadeiras cobertas terão o preço de R$ 50. Haverá meia-entrada para todos esses setores, com a venda sendo iniciada na sexta-feira (2).
Os ingressos com valor integral serão comercializados a partir de quarta-feira (31), em oito postos de venda: Degraus Sports (Rua Grande, Shopping da Ilha e Shopping São Luís), HCG (São Francisco), Ferparsa (São Cristóvão), Fitabras (Vila Palmeira), Mercadinho Garcia (Cohatrac), Lojas Cruzeiro (Centro) e as bilheterias dos estádios Nhozinho Santos e Castelão, que serão também os locais de compra de meia-entrada.

Greve de trabalhadores nas redes de fast-food expõe a face da miséria nos EUA

Centenas de trabalhadores de redes de fast-food (McDonald’s, King’s Burger etc) de sete cidades dos Estados Unidos entraram no segundo dia da greve iniciada nesta e pretendem manter a paralisação durante toda esta semana. Eles protestam nos EUA contra o que chamam de “salário de miséria de US$ 7,25 a hora”. De acordo com reportagem da revista Forbes, muitas das lojas dessas empresas estão fechadas ou funcionam com capacidade reduzida. As cidades norte-americanas em que ocorre a greve são Nova York, Chicago, St. Louis, Detroit, Milwaukee, Kansas City e Flint.
As empresas de fast-food norte-americanas costumam pagar aos seus atendentes e cozinheiros no país o salário mínimo de US$ 7,25 por hora (cerca de R$ 16). Segundo os trabalhadores, isso não é suficiente para garantir a sobrevivência familiar. Além do baixo salário, eles também reclamam da ausência de benefícios, das precárias condições de trabalho e da grande pressão em que têm que trabalhar. O movimento paredista atinge as lanchonetes Mc Donald’s, Burger King, Wendy’s, KFC e Domino’s Pizza.
Miséria
Nos EUA, em 2013, há mais de 23 milhões de desempregados ou severamente subempregados. Mais de 146 milhões – 48% da população – vive com renda menor do que a mínima necessária para sobreviver ou já mergulhou na indigência, recorde nacional. Os salários reais foram incansavelmente empurrados para baixo, ao longo dos últimos 30 anos. Se corrigido pela inflação, o salário mínimo hoje é 45% menor do que era em 1968.
Segundo o relatório divulgado pela agência inglesa de notícias Reuters, baseado em dados recentes do Censo, em 2011 havia 200 mil famílias de “pobres trabalhadores” a mais do que em 2010. Cerca de 10,4 milhões dessas famílias – ou 47,5 milhões de norte-americanos – agora vivem na linha da pobreza, definida nos EUA como sendo uma renda inferior a US$ 22.811 por ano, para uma família de quatro pessoas.
Na realidade, quase um terço das famílias trabalhadoras dos Estados Unidos atualmente enfrenta dificuldades, segundo a análise. Em 2007, quando a recessão nos EUA começou, eram 28%.
“Embora muita gente esteja voltando a trabalhar, elas estão muitas vezes assumindo vagas com salários menores e menos segurança no emprego, em comparação aos empregos de classe média que tinham antes da crise econômica”, disse o estudo. As conclusões ocorrem quase três anos depois de o país ter oficialmente deixado a recessão, no segundo semestre de 2009.
Contração
Brandon Roberts, coautor da pesquisa, nota que os resultados são surpreendentes pois, no ano passado, funcionários do Censo disseram que a taxa de pobreza no país se estabilizara. Vários outros dados recentes, no entanto, demonstram ao longo do tempo que há uma contração da classe média, apesar da recuperação econômica gradual dos últimos anos e um aumento vertiginoso na concentração de renda. Os dados mostram que os 20% mais ricos dos EUA receberam 48% de toda a renda nacional, enquanto os 20% mais pobres ficaram com apenas 5%. Este fenômeno pode ser observado nos Estados do Sul, como Geórgia e Carolina do Sul, e do Oeste, como Arizona e Nevada, onde há o maior crescimento no número de famílias trabalhadoras pobres.
O efeito da pobreza sobre o crescente número de crianças que vive nessas famílias – um aumento de quase 2,5 milhões de menores em cinco anos – também coloca em xeque o modelo econômico do país. Em 2011, cerca de 23,5 milhões (ou 37%) das crianças dos EUA viviam em famílias trabalhadoras pobres, contra 21 milhões (33%) em 2007, segundo o relatório. Parte do problema é que mais pais estão trabalhando no setor de serviços, o que resulta em longas jornadas noturnas, com as decorrentes dificuldades para cuidar dos filhos, além de salários baixos e um involuntário status de trabalhador de meio período, segundo a análise.

terça-feira, 30 de julho de 2013

Cultura: Veja mais 10 dos 50 filmes geniais políticos e sociais do cinema mundial

Cenas do filme  'A Caça' - 1965

Como prometido, tai mais 10 belas dicas de obras-primas do cinema mundial:

11. O Discreto Charme da Burguesia (Le Charme Discret de La Bourgeoisie, Direção: Luis Buñuel: 1972)
País: França

Sinopse: Mistura de situações reais da história com os sonhos e devaneios dos personagens. O filme se passa numa tarde onde alguns amigos se encontram para jantar. Crítica às situações e a hipocrisia da vida social burguesa.
12. O Anjo Exterminador (El Ángel Exterminador, Direção: Luis Buñuel, 1962)
País: México
Sinopse: Após uma extravagante e farta refeição, os convidados se sentem estranhamente incapazes de deixar a sala de jantar e, nos dias que se seguem, pouco a pouco, caem as máscaras de civilização e virtude e o grupo passa a viver como animais.
13. Os Esquecidos (Los Olvidados, Direção: Luis Buñuel, 1952)

País: México

Sinopse: Nos subúrbios da Cidade do México um grupo de jovens delinquentes passa os dias cometendo pequenos roubos. Um fugitivo de um reformatório, Jaibo (Roberto Cobo), por ser mais velho e experiente se torna o líder natural deles. Um dia, na companhia de Pedro (Alfonso Mejía), Jaibo se descontrola e espanca Julian (Javier Amézcua) até a morte, pois supostamente este o teria delatado. Pedro, que tem uma grande necessidade de carinho materno mas é ignorado por sua mãe (Estela Inda), carrega um sentimento de culpa por se considerar cúmplice de Jaibo, que se comporta como se nada tivesse acontecido. Jaibo ainda tenta seduzir a mãe de Pedro, que não lhe dá nenhuma abertura, fazendo com que o confronto entre Jaibo e Pedro seja algo inevitável.
14. Incêndios (Incendies, Direção: Denis Villeneuve, 2010)

País: Canadá, França


Sinopse: O último desejo de uma mãe é mandar os gêmeos Jeanne e Simon numa jornada pelo Oriente Médio na busca por suas emaranhadas raízes. Adaptado da aclamada peça de Wajdi Mouawad, Incendies conta a poderosa e comovente história da viagem de dois jovens adultos para o núcleo do ódio profundamente enraizado, das guerras que nunca acabam e do amor duradouro.
15. O Conformista (Il Conformista, Direção: Bernardo Bertolucci, 1970)

País: Itália

Sinopse: Em 1938, em Roma, Marcello (Jean Louis Trintignant) acaba de aceitar um trabalho para Mussollini e flerta com uma bela jovem, o que faz com que ele fique cada vez mais conformista. Marcello resolve viajar a Paris em sua lua de mel e aproveita para cumprir uma missão designada por seus chefes: vigiar um professor que fugiu da Itália assim que os fascistas assumiram o poder no país.
16. 1984 (Michael Radford, 1984)

País: Inglaterra

Sinopse: Adaptação do clássico homônimo de George Orwell. Vivendo sob um governo autoritário e que tem o controle total sobre cada ação dos cidadãos, proibindo qualquer tipo de emoção, o burocrata Winston Smith enfrenta problemas ao se apaixonar por Julia.
17. A Caça (La Caza, Direção: Carlos Saura, 1965)

País: Espanha

Sinopse: Parábola corajosa de Carlos Saura sobre a Guerra Civil Espanhola. Ganhou o prêmio de melhor diretor (Urso de Prata) no Festival de Berlim de 1966.José, Paco e Luís são três amigos e veteranos de guerra que um dia decidem ir à caça na companhia de Enrique, de 20 anos de idade, em sua primeira excursão. Eles vão praticar o seu esporte favorito nas terras de José, onde não há muito tempo uma importante batalha da Guerra Civil ocorreu. Um thriller nervoso, bem como um estudo altamente simbólico do ódio e da rivalidade, “A Caça” se torna uma alegoria da guerra. É considerado um clássico do Cinema Espanhol.
18. Pelos Caminhos do Inferno (Wake in Fright, Direção: Ted Kotcheff, 1971)

País: Austrália

Sinopse: Um professor cansado da vida que leva tira folga do trabalho e viaja para encontrar a mulher com quem teve um caso tempos atrás. Mas no caminho passa por uma cidade em que calor é insuportável, e onde todas as pessoas aparentam ser vítimas da perdição. O difícil vai ser esse homem sair desse lugar "possuído" pela jogatina e pela cerveja.
19. Filhos do Paraíso (Bacheha-Ye aseman, Direção: Majid Majidi, 1997)
País: Irã

Sinopse: Ali (Amir Farrokh Hashemian) é um menino de 9 anos proveniente de uma família humilde e que vive com seus pais e sua irmã, Zahra (Bahare Seddiqi). Um dia ele perde o único par de sapatos da irmã e, tentando evitar a bronca dos pais, passa a dividir seu próprio par de sapatos com ela, com ambos revezando-o. Enquanto isso, Ali treina para obter uma boa colocação em uma corrida que será realizada, pois precisa da quantia dada como prêmio para comprar um novo par de sapatos para a irmã.
20. Faça a Coisa Certa (Do The Right Thing, Direção: Spike Lee, 1989)
País: EUA

Sinopse: Em um bairro onde a maioria da população é predominantemente negra, Buggin' Out, um ativista, exige que Sal, um dono de uma pizzaria, troque as fotos de seus ídolos brancos do local por fotos de ídolos negros. Quando tem seu pedido negado, o ativista passa a organizar um boicote contra a pizzaria de Sal.

O Maranhão continua pobre e os Sarneys ficam mais ricos.

De acordo com as informações do Atlas do Desenvolvimento Humano divulgado ontem pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), o Pnud ( Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) e a Fundação João Pinheiro, o nosso sofrido Maranhão ganhou a nota de 0,639 em qualidade de vida, só passando apertado pelo estado do Alagoas que tirou 0,631 numa escala de 0 a 1.

Enquanto o Brasil no índice global, em 20 anos passou de 0,493 para a nota 0,727 o Maranhão na mão da oligarquia com 50 anos, fica sempre na ‘rabeira’ em qualidade de vida.

Este índice leva em conta a educação, longevidade e a renda da população.

Pois bem, isso não é mais novidade para a população maranhense que só vê qualidade de vida é na família da oligarquia Sarney.  Enquanto a maioria da população do Maranhão fica pobre a família esbanja qualidade de vida com riqueza e luxo.

Outra situação que não é novidade é que  a oligarquia não quer largar o osso e já se uniram, para vender mais um ‘gato por lebre’ para os pobres maranhenses, Luís Fernando, ex-prefeito de Ribamar e atual chefe da Casa Civil do governo Roseana. Essa constatação o blog postou uma matéria sobre o assunto, reveja aqui.

Podemos divulgar um pouco da riqueza de qualidade de vida do clã Sarney, somente a riqueza que é assumida pela família, fora os empreendimentos que ela possui, porém usam várias figuras do seu grupo como ‘testas de ferro’.

Vamos começar pela Ilha de Curupu do Sarney, além de ser uma ilha particular, possui uma imponente mansão com variados compartimentos, apenas pelo telhado já notamos a grande qualidade de vida, quanto mais dentro da casa, veja que exuberância:


Veja a casa oficial de muita qualidade do Sarney em Brasília:



Agora veja a casinha de Roseana no terreno de 20.000 m² na Praia do Calhau.


Agora na véspera de sair o resultado do índice de desenvolvimento humano, a família esbanja qualidade de vida na festa de casamento da neta do Sarney ( Blog do Garrone ). Veja que luxo:




Veja o Convento das Mercês, o Mausoléu da família Sarney,  no bairro do Desterro no centro histórico de São Luís:



Só basta essas riquezas da qualidade de vida da oligarquia Sarney, para os amig@s perceberem a diferença de índice em comparação com a maioria da população que vive na margem da miséria.

Veja agora um pouco da qualidade de vida da população maranhense:










 Chega, basta de miséria!

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Em entrevista ao O Imparcial, Márcio Jerry anuncia TV Cidadania

Por Diego Emir, de O Imparcial
marciojerry
Considerada como a principal marca do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTC) nos primeiros seis meses de governo, a transparência e o diálogo fazem parte da efetiva política de comunicação implantada pela nova gestão do executivo municipal. O responsável por conduzir o serviço, o secretário municipal de Comunicação, jornalista Márcio Jerry, fala sobre os avanços na democratização da informação para a sociedade.

Na primeira fase de governo é destacada a participação popular nas discussões nas tomadas de decisões do governo e o anúncio é que essa parceria deve continuar. Márcio anuncia que nos próximos dias será o lançado o Conselho Municipal de Comunicação, que visa ampliar o canal de debate para implantação de políticas públicas de comunicação na cidade. O dispositivo é um pré-requisito para implantação do Canal da Cidadania, que prevê a instalação de televisões públicas, que tenham a intenção de disseminar o conhecimento para a população.
Jerry ainda fala sobre a imagem de São Luís, fora do estado e o que está sendo pensado para atrair turistas e também melhorar as condições para a população. Confira na íntegra a entrevista:
 O Imparcial – O que podemos destacar de avanços nos últimos seis meses no quesito Comunicação em se tratando da administração Edivaldo Holanda Júnior?
 Márcio Jerry – Olha o governo Edivaldo Holanda Júnior tem como uma de suas premissas, o dialogo permanente com a sociedade, tem como um de seus fundamentos a participação, a mobilização social e a transparência. Tudo isso só se alcança com uma efetiva política pública de comunicação. E o que norteou o trabalho da Secom até este momento foi a diretriz do prefeito de aperfeiçoar o dialogo com a cidade de São Luís em mão dupla. Não apenas de divulgar as ações do governo, mas ser parte do processo de mobilização permanente da sociedade, então temos feito isso de forma permanente, buscando implantar mecanismos de participação, dialogando com a cidade, obtendo um bom dialogo com a imprensa e isso tem marcado a ação da comunicação da prefeitura. Além disso, lançamos algumas inovações: implantamos o portal da transparência de fácil acesso, o diário oficial disponibilizado na internet, ainda criamos a rádio web, que é uma experiência de rádio exitosa pela internet, que valoriza em 100% a música maranhense e estamos participando para outras plataformas. Nós estamos pleiteando junto ao governo federal, a outorga do canal da TV Cidadania.
 E como funcionaria esse Canal da Cidadania?
 O Canal da Cidadania é uma possibilidade aberta da legislação brasileira da comunicação, em que cada município do país, faz jus à exploração desse canal e é possível graças ao advento da TV digital, onde podem ser operadas várias faixas de som e imagem. Dessa forma a prefeitura de São Luís pleiteia a TV Cidadania, recebendo a outorga, nesse espaço além do conteúdo da própria prefeitura, podem ser veiculadas de forma paralela na mesma plataforma, dois canais comunitários, um faixa da Câmara Municipal, outra do governo estadual e mais um do governo federal, caso seja requisitada, então é um espaço fabuloso, fundamental e indispensável a cidadania. Uma TV pública, uma TV cultural, voltada a estimular o dialogo com a sociedade, a veicular conteúdos educativos, se inserir no processo geral para educação plena para toda população. É algo que nos anima muito, que o prefeito Edivaldo nos recomendou que buscássemos com muito interesse, portanto já iniciamos o processo para que tenhamos em breve a TV Cidadania em São Luís.
 A TV Cidadania prevê um espaço para o governo do estado, dessa forma podemos imaginar, que pode existir outra área em que a parceria institucional pode ocorrer?
 Olha inicialmente faremos a parte que cabe a Prefeitura. Que é viabilizar a outorga do canal e em seguida prevê na lei orçamentária de 2014 e no plano plurianual a construção de uma TV pública em São Luís. O que os outros vão fazer, não depende da gente, mas vamos esperar e que se organizem, especialmente os movimentos sociais, para que façam parte da operação do canal. Temos também a diretriz de buscar a participação das Universidades para que possamos ter um esforço complementar. Inclusive a UFMA, já tem garantida a veiculação da TV Universidade, o que vai ser um ganho muito grande para o espectro da comunicação na cidade, tudo isso areja bastante o ambiente da comunicação. Vamos ter mais diálogos, indispensável para democracia.
 Em se tratando na divulgação da cidade de São Luís como está ocorrendo esse trabalho?
 Especialmente com a secretaria de Turismo, temos um trabalho de divulgação dos grandes eventos, mas o maior atrativo que a cidade pode ter é melhorar as condições de vida para seu povo. Melhorar sua infraestrutura urbana, melhorar as praias, o Centro Histórico. Não adianta ainda promover São Luís, se a cidade tem uma serie de déficits. A prioridade é preparar a cidade para ser um grande potencial turístico, o qual ela já possui. Por isso temos um plano de investimento para proporcionar uma nova feição urbana para São Luís. Assim que ela ganhar uma melhora no seu padrão de vida, ela vai projetar sua imagem para o Brasil e o resto do mundo. Temos o grande desafio de mudar essa realidade de sermos os últimos em tudo, afinal temos potencial, temos riqueza naturais, históricas e culturais para mudar essa história.
 No começo do ano, o senhor foi acusado de criar um Programa de Comunicação, que visava regular alguns comunicadores. Existe esse projeto?
 Olha isso é um absurdo, isso é um atentado a inteligência das pessoas. Ninguém faz um programa de políticas de comunicação contra alguém, mas sim a favor, e no nosso caso é do lado da sociedade, desenvolvendo uma comunicação democrática, baseada nos direitos humanos. Então temos que fazer um programa de comunicação humana e não contra grupo A ou B. Eu, como secretário de comunicação, eu cuido da política de comunicação do prefeito e daquilo que o prefeito me delegar, não cuido de luta político-partidária ou de grupo A ou B, isso eu faço na condição de cidadão. Mas isso não contamina e nem poderá contaminar a ação institucional da secretaria, que eu zelo de forma extremamente rigorosa, para que tudo seja feito de acordo com a legislação, o que preconiza com a política que o prefeito Edivaldo determina, que busca respeitar o cidadão. Por isso é uma estupidez imaginar a construção de um Programa para combater quem quer que seja. Repito energicamente, isso jamais existiu e existirá sobre o meu comando.
Fonte: Reproduzido do Blog do Clodoaldo Corrêa

20 adjetivos para não acreditar em Marcos D'Eça

Sarney e seu filhote adestrado 
Observando movimentos de um blogueiro filhote sustentado pela família Sarney em querer se safar de denuncias de outros blogueiros que lhe acusam de favorecimento na gestão municipal, vi que já era tempo de acontecer esse clima de uma certa "lavagem de roupa" na blogosfera maranhense.

Esse blogueiro já acionou seus acusadores na justiça, alegando "perseguição", "injúria" "calúnia", "difamação" e "dano moral".

O blogueiro que se diz "vítima" é o nada mais nada menos que Marcos D'eça, empregado de Roseana, representante do braço do PIG (Partido da Imprensa Golpista) aqui no Maranhão e os acusados são os blogueiros de oposição aos seu chefes, Leandro Miranda, do Marrapá e o jornalista César Bello. 

Os blogueiros são acusados por postarem a matéria "10 motivos para Marcos D'Eça, o Band'Eça, inventar a doença de Holandinha", divulgada no dia 22 de julho deste ano, no Blog Marrapá.

Nessa seara, o blogueiro sarneizista, ameaça processar de quebra, o atual Secretário de Comunicação da Prefeitura de São Luís, o jornalista Marcio Jerry, com a acusação do mesmo de incentivar os dois acusados. 

Acontece amig@s internautas, que esse mesmo blogueiro que se diz "vítima", só de fevereiro de 2013 para cá, ataca com calúnias, injúrias e difamações o jornalista Marcio Jerry e o seu partido o PC do B no seu blog quase que diariamente. É só pesquisar no seu próprio blog (veja aqui)

Acusações de baixo nível contra Marcio Jerry e seu partido, pode-se observar nas suas postagens, isso sem falar também que ele usa diariamente seu blog para destilar ódio contra o opositor maior dos seus chefes, o presidente da Embratur, Flávio Dino.

Somente neste ano, desde a data 21/02/2013, no blog do "santo blogueiro", conferi 20 adjetivos usado pelo mesmo, para acusar o Marcio Jerry, como:

Rato, mentiroso, farsante, manipulador, idiota, covarde, dissimulado, bobo da corte, coveiro, fracassado, sem credibilidade, incompetente, nocivo, tolo, agressor, fraudador, besta, desonesto, poderoso chefão, antiético. É mole ou quer mais.

Esse coitado blogueiro, coloca em dúvida , que o Marcio Jerry, fez peripécias em Imperatriz, como corrupção, baseado em uma própria postagem sua do dia 15/04/2013 com o título O P C  do  B  e  a  corrupção…”

Portanto, achamos que o 'chilique' do blogueiro Marcos D'Eça, não passa de mais uma encenação de jornalistas vendidos que se escondem por trás do biombo do "direito de expressão", querendo ibope, orientado pelos seus comandantes oligárquicos para tentar como sempre desqualificar os seus opositores.

E quem deve ser processado é o filhotinho labrador do Sarney.

domingo, 28 de julho de 2013

Cultura: 50 geniais filmes políticos e sociais.

Cena do filme Trainspotting de 1996.
O nosso blog oferece aos noss@s internautas, 05 postagens informando 10 filmes cada, reproduzidas do Blog Obvious - Poliformismo Cultural. São 50 opções de filmes geopolíticas e sociopolíticos para rememorar e ou clarear a mente. São obras-primas com muito dinâmica de aprendizagem e obtenção de conhecimento para auxiliar na educação política social através do cinema.
Segue o artigo de origem e os 10 primeiros filmes sugeridos pelo blog:
Nós brasileiros, por mais cultos ou estáveis financeiramente que formos, ainda somos produtos do terceiro mundo ou mundo em desenvolvimento, e é por isso que a educação política é muito importante e a falta deste requisito na nossa sociedade pode trazer severas consequências para nossa nação, algo que já estamos vivendo à tempos.
Então, segue-se aí, 50 filmes políticos de todas épocas e países, estes filmes são de vários gêneros cinematográficos. Apesar de alguns filmes terem 10, 20, 30, 40 anos ou mais, eles são geniais por causa de sua atemporalidade. Os filmes estão listados de forma aleatória e não hierárquica:


1- A Batalha da Argél (La battaglia di Algeri, Direção: Gillo Pontecorvo, 1966)
País: França


Sinopse: Os eventos decisivos da guerra pela independência da Argélia, marco do processo de libertação das colônias européias na África. Entre 1954 e 1957 é mostrado o modo de agir dos dois lados do conflito, a Frente de Libertação Nacional e o exército francês. Enquanto que o exército usava técnicas de tortura e eliminava o maior número possível de rebeldes, a FLN desenvolvia técnicas não-convencionais de combate, baseadas na guerrilha e no terrorismo.
2. Eu, Cláudius (I, Claudius, 1976) - Minisérie em 13 episódios:

País: Inglaterra

Sinopse: Baseado nos romances históricos ''I, Claudius'' e ''Claudius'' por Robert Graves. ''Eu, Cláudio'' narra a vida da família de Tibério, Cláudio Druso, Nero Germânico, do ponto de vista do imperador mais democrático e menos insano, Cláudius. Claudius (Derek Jacobi) nasceu com um pé torto e gago, a sua família o achou um tolo e o manteve fora da linha de sucessão. Cláudio era muito perspicaz, mais do que sua família acreditava que ele fosse, mais tarde por mero acaso do destino, ele se tornou imperador após o tirânico e insano governo de Calígula. A história conta todos os jogos de poderes que manteve a família dos Claudianos no governo de Roma durante décadas, começando pelo o imperador Augustos, indo para Tibério, Calígula, Claudius e terminando em Nero. Esta mini-série é sensacional, ela mostra com detalhes como foi o reinado de uma das famílias mais polêmicas e controversas que já governaram o império Romano.
3. Tempos Modernos (Modern Times, Direção: Charles Chaplin, 1936)

País: EUA

Sinopse: Um operário de uma linha de montagem, que testou uma "máquina revolucionária" para evitar a hora do almoço, é levado à loucura pela "monotonia frenética" do seu trabalho. Após um longo período em um sanatório ele fica curado de sua crise nervosa, mas desempregado. Ele deixa o hospital para começar sua nova vida, mas encontra uma crise generalizada e equivocadamente é preso como um agitador comunista, que liderava uma marcha de operários em protesto. Simultaneamente uma jovem rouba comida para salvar suas irmãs famintas, que ainda são bem garotas. Elas não tem mãe e o pai delas está desempregado, mas o pior ainda está por vir, pois ele é morto em um conflito. A lei vai cuidar das órfãs, mas enquanto as menores são levadas a jovem consegue escapar.
4. Rede de Intrigas (Network, Direção: Sidney Lumet, 1976)

País: EUA


Sinopse: Apresentador de noticiário recebe a notícia de que está demitido em razão dos seus baixos índices de audiência. Um dia, com o programa no ar, comunica a sua saída da emissora e avisa que se matará na próxima semana, quando o programa estiver no ar. É imediatamente afastado, mas o público pede a sua volta e como a rede estava com problemas de audiência resolve lançá-lo. A partir de então ele passa a encarnar o profeta louco, mas mesmo tendo um comportamento insano a recepção do público é altamente positiva. No entanto, as pessoas responsáveis pela sua ascensão agora querem detê-lo.
5. Dr. Fantástico (Dr. Strangelove or How I Learned to Stop Worrying and Love the Bomb, Direção: Stanley Kubrick, 1964)

País: Inglaterra



Sinopse: As possíveis conseqüências caso um anticomunista e louco general americano (Sterling Heyden) desse a ordem de bombardear a União Soviética com o objetivo de ficar livre dos "vermelhos", sem se dar conta de que este ato seria provavelmente o início da Terceira Guerra Mundial.
6. Aguirre, a Cólera dos Deuses (Aguirre, der Zorn Gottes, Direção: Werner Herzog, 1972)
País: Alemanha


Sinopse: Algumas décadas após a destruição do Império Inca o explorador Gonzalo Pizarro envia uma expedição para uma arriscada missão, encontrar e tomar posse do tão sonhado e enigmático "El Dorado", um lugar cheio de ouro e riquezas. Deixando as montanhas do Peru, os conquistadores rumam em direção ao rio Amazonas, e logo começam a enfrentar os perigos e dificuldades da traiçoeira selva. Além disso, obcecado e louco por riqueza e poder, Don Lope de Aguirre passa a liderar o grupo. E, em meio a sua total insaniedade, parte com a expedição de conquistadores para uma bizarra jornada rumo ao desconhecido.
7. Z (Direção: Costa-Gravas, 1969)

País: França

Sinopse: Tendo como trama básica o assassinato de um político liberal (Yves Montand) cometido como se fosse um acidente, é retratado o caso Lambrakis, fato acontecido na Grécia no início da década de 60 no qual a investigação sobre a morte do político foi escandalosamente encoberta por uma rede de corrupção e ilegalidade na polícia e no exército.
8. Sindicato de Ladrões (On the Waterfront, Direção: Elia Kazan, 1954)

País: EUA

Sinopse: Terry Malloy (Marlon Brando) é um ex-boxeador que costumava ser grande, mas que se tornou pequeno ao entrar para a gangue exploradora de Johnny Friendly (Lee J. Cobb). Quando um trabalhador inocente morre, Terry sente-se culpado e começa a tentar consertar suas ações passadas lutando diretamente contra o sindicato, sofrendo também as conseqüências. Durante a luta, acaba por se apaixonar pela irmã do falecido, a jovem e inocente Edie Doyle (Eva Marie Saint). Vencedor de 8 Oscar, incElia Kazanluindo Melhor Filme, Diretor e Ator (Marlon Brando).
9. O Salário do Medo (Salaire de la Peur, Direção: Henri-Georges Clouzot, 1953)
País: França


Sinopse: Quatro homens desempregados e miseráveis, que vivem em condições quase desumanas em um pequeno vilarejo da Guatemala, aceitam uma perigosa e desafiadora missão: transportar uma carga altamente explosiva de nitroglicerina em caminhões sem nenhuma estrutura para tanto, ao longo de estradas em péssimas condições, até um incêndio que está acontecendo em um poço de petróleo de uma extratora estadunidense. Filme vencedor da Palma de Ouro e do Urso de Ouro, respectivamente, prêmios dados no festival de Cannes e de Berlin.
10- Underground: Mentiras de Guerras (Underground, Direção: Emir Kusturica, 1995)
País: Sérvia

Sinopse: Palma de Ouro no Festival de Cannes, o filme do cineasta iugoslavo Emir Kusturica mostra, com humor negro e em tom de fábula, a situação conflituosa de seus país. O filme conta a história de Marko, proprietário de uma fabrica clandestina de armas (o Underground do título) que usa policiais refugiados como mão de obra. Tudo começa na Segunda Guerra e, por amor de uma mulher, Marco mantém seus colegas refugiados por lá durante 20 anos.
Breve o blog divulgará mais 10 filmes, aguarde!

sábado, 27 de julho de 2013

Grupo Mateus: 'Meu Primeiro Emprego'...Minha primeira 'Escravidão Branca'


Tradicionalmente conhecemos a escravidão nos livros de história do ensino fundamental onde os negros capturados na Africa, vieram de navios para serem escravizados no Brasil, nas fazendas de cana de açúcar e café. Os índios em lugares onde ainda não havia negros também eram escravizados. Esta denominada “escravidão negra”.

A “escravidão branca” é conhecida pelo popular atual, como uma família de brancos que consegue pessoas brancas ou negras no interior do estado e até em áreas urbanas da periferia da cidade, para trabalho domésticos e ou de babá, em casa, no apartamento ou na fazenda. Para estes são oferecidos comida, dormida e quando adoecem são mandados de volta para casa dos pais, na maioria das vezes esses pais são pobres e moram nos grotões do estado.

Pois bem vamos entender um pouco mais profundamente sobre “escravidão branca” para podermos justificar o título desta postagem:

Em 1981 na Mauritânia, legalmente, foi o último país a abolir a escravidão. Legalmente eu falei, porém a escravidão continua em vários países, contraditoriamente as ditas leis não são aplicadas. Hoje existem ainda cerca de 27 milhões de escravos no mundo. Isso entendam, “escravidão negra”. Se for contar a “escravidão branca” esse número é gigante, temos dificuldades de conferir porque são pessoas que estão nos domicílios dos brancos.

Podemos afirmar que na escravidão branca, o tráfico humanos para prostituição, o tráfico de crianças para mendigar, trabalhadores com carteira assinada ou não, o empregador não repassa seus devidos direitos, fazem parte também do cardápio desse tipo de exploração humana.

Essas situações por incrível que pareçam, passa de forma despercebida pela sociedade brasileira, acontece de baixo dos nossos narizes, acontece nas empresas, fazendas, residências da cidade e com o medo do ‘açoite’, de ser demitidos, irem para fila de desempregados famintos os “escravos brancos”, os trabalhadores se submetem por vários tipos de exploração.

Certo, agora vamos justificar o título da postagem.

O Grupo Mateus está em 23º lugar no ranking dos maiores supermercados varejistas do país, tem hoje no quadro funcional 12.000 empregados numa rede de 19 prédios bem estruturados com imensos estacionamentos. Alguns serviços ainda existem a terceirização, como a sua segurança.

Hoje o Grupo Mateus inaugura quase um novo supermercado por mês, numa evidencia clara que o seu negocio em comercio varejistas está com lucratividade a mil, devido a grande força hoje da população está podendo consumir gêneros alimentícios de boa qualidade que o grupo oferece em suas gôndolas.

Acontece amig@s que essa riqueza lucrativa é proveniente de economia grande sobre a sua força produtiva, os seus empregados. Podemos ressaltar com bastante propriedade que essa exploração segue vários níveis, do gerente ao organizador de carrinhos de compra.

As maiorias destes trabalhadores trabalham além das 06 horas, 07 e 20 minutos. Os gerentes e alguns auxiliares são os primeiros chegarem e os últimos a saírem. A carga horária tem que ser reduzida para 06 horas

As horas extras são pagas em folga. Esta empresa tem um grande número de trabalhadores a serem explorados, tem condições de ta cobrindo a folga do outro, porém esses mesmos estão sendo mais exigidos (fazem rodízios de folga). As horas extras têm que serem pagas na conta do banco dos trabalhadores e não no ‘banco de horas’.

Esses trabalhadores com o mísero salário que esse grupo paga, sofre com a falta de alimentos logo no término da primeira quinzena do mês, eles não recebem ticket alimentação para suprir as necessidades. O Mateus tem como resolver essa situação, dispondo de gêneros alimentícios de seus empanturrados depósitos.

A maioria dos trabalhadores de supermercados está disposta há várias situações insalubres e periculosas. As pessoas normais adoecem, procura o serviço público, porém se for um tratamento, tem que esperar muito, quando não é doenças adquiridas no próprio ambiente de trabalho. O Mateus deve contratar uma empresa com aval do Ministério Público para identificar áreas insalubres e periculosas e oferecer plano de saúde a todos os seus empregados.

Portanto, o Grupo Mateus pratica, deste que se organizou, a dita cuja “escravidão branca”. Lucra muito, investe muito em empreendimentos e escraviza seus funcionários operacionais com a conivência e ajuda do atual governo do estado que recruta a maioria dos trabalhadores, através do programa ‘Meu Primeiro Emprego’. Estes trabalhadores têm que participar dos lucros da empresa.

Devido a grande “escravidão branca” com a conivência do governo da “branca” desemvolvida pelo Grupo Mateus, os trabalhadores cruzaram os braços nesta sexta-feira (26/07) por tempo indeterminado, já era tempo.

Achamos que com as manifestações ocorridas desde junho passado em todo país, estimularam os trabalhadores do Mateus a partir para o movimento grevista com foco. Estão cobertos de razões e com todo apoio da população. Inclusive deste blog.


Finalizamos com uma louvável citação:
“ Ter escravos não é nada, mas o que se torna intolerável é ter escravos chamando-lhes cidadãos. ”
Denis Diderot 

sexta-feira, 26 de julho de 2013

“Desestabilização premeditada"


Jovens politizadíssimos lutando por melhorias no
transporte público

Tento insistentemente procurar o 'caminho do meio' e encontrar algo de positivo nestas manifestações de junho. Confesso, desapontado, que não consigo. Por mais que eu me esforce, para mim é simplesmente impossível encontrar algo de bom nessas manifestações. 

Classifico-as, desde o início, de 'Marchas sobre Roma'. Exatamente porque o que presenciamos foram manifestações movidas a ódio, ódio profundo e irracional contra partidos políticos, sindicatos e movimentos sociais! Se este ódio não é a antessala do fascismo, não sei mais o que é. 

E percebo o descomunal esforço que 'intelectuais' das mais variadas matizes políticas empreendem em defender essas manifestações. É algo incrível. Como posso me animar com manifestações orquestradas e dirigidas através de páginas da internet, páginas essas coalhadas de fascistas (enrustidos e confessos), cuja maior pregação se faz contra o Partido dos Trabalhadores? 

O absurdo é tão gigantesco que lemos cotidianamente termos como "ditadura do PT", "morte à esquerda" e outras barbaridades. 

Pior, será que as pessoas ainda não se deram conta de que esses mascarados do 'anonymous' e do tal de Black Blocs não passam de um bando de reacionários de classe média, teleguiados por teses fabricadas fora do país? 

E não se trata de desmerecer teses forâneas (Marx é alemão), mas sim de alertar para a ideologia fascista, reacionária e terrivelmente contrária aos interesses da classe trabalhadora! Não se pode romantizar ou minimizar a influência nefasta desses grupúsculos. 

Jovem dando "exemplo" de "politização"
A esquerda não pode, não tem o direito de flertar com fascistas mascarados, com pseudo anarquistas, com 'anônimos' ou com outros espécimes de militantes nocivos e estranhos à luta popular. Já não basta ter de conviver com o sectarismo principista do esquerdismo microscópico? 

O que vemos hoje, lamentavelmente, é um acelerado processo de criminalização da atividade política, e, mais perverso ainda, de negação da própria política. Esse é o perigoso passo que antecede a volta ou restauração conservadora, não tenham dúvidas! 

E essa restauração pode se dar pela via eleitoral (qual foi o resultado prático dos 'indignados' da Espanha?), pelo golpe branco de estado (vide o Paraguai) ou através da reedição dos clássicos golpes militares. 

O que me deixa mais revoltado ainda é constatar que é impossível, simplesmente impossível estabelecer qualquer laço entre as 'Marchas sobre Roma' do Brasil com as "Primaveras Árabes" ou com as manifestações que ocorrem na Europa! Vejamos. 

No mundo árabe existiam regimes políticos fechados, de partido único, com supressão das liberdades. Em que isso se assemelha ao Brasil? Em nada, em absolutamente nada! Não há um "ditador" a ser derrubado por aqui. E no caso da Europa também não há verossimilhança alguma... 

A Europa sucumbe sob o tacão do desemprego, do arrocho salarial, do aumento brutal das desigualdades sociais, dos cortes brutais nos orçamentos públicos para a saúde, educação e assistência social, cortes em salários de funcionários públicos, em aposentadorias e pensões, etc. É justamente o contrário do que existe hoje no Brasil! 

Por tudo isso que já relatei é que me permito ser pessimista e reticente quanto ao que vemos aqui no país. E destaque-se que isso não é um fenômeno isolado, restrito ao Brasil. A Venezuela sofre com isso há vários anos...

A quem interessa desestabilizar um país como o Brasil, onde se verifica o maior processo de mobilidade social em toda a história? 

A quem interessa desestabilizar o gigante sul-americano e, posteriormente, aplicar um efeito dominó derrubando todos os governos progressistas da América Latina? 

Os fascistas estão no congresso, nas ruas e
nas forças armadas
O que está por trás dessas orquestrações empreendidas por organizações internacionais, por fascistas e pseudo anarquistas, contanto com o apoio vexaminoso do esquerdismo inconsequente? 

Definitivamente, não há o que comemorar, tampouco se pode tergiversar sobre o que está acontecendo. 

Querem interromper o vigoroso processo de mobilidade social conquistado e empreendido pelos governos de esquerda na última década em nosso continente. 

Querem torpedear a unidade latino-americana, querem colocar novamente os nossos países sob o jugo feroz do imperialismo.

Este é o objetivo final destas mentecaptas orquestrações!

Devemos, isto sim, nos preparar para resistir e para vencer essa camarilha que pretende destruir a recente democracia brasileira e os avanços obtidos pela classe trabalhadora nos últimos anos. Penso ser essa a tarefa que o momento atual exige.”

Veja também:

"Odeio o PT e estou começando a te odiar também"

Alerta: Grupos fascistas fazem campanha para volta da ditadura militar

Fonte FacebooK - Mescla Notíciais